Escolha uma Página

Eu selecionei 10 lições que aprendi com o Universo do jovem bruxo para compartilhar com você (sabendo que seria extremamente complicado porque só a seleção de 10 lições em apenas um livro já é um esforço tremendo dentre tantas que existem).

Vamos a elas!

  1. O Espelho de Ojesed. Harry toma contato com este curioso objeto do mundo mágico no primeiro ano em Hogwarts, quando fugia do zelado Filch. Ele se olha no espelho e vê sua imagem ao lado dos seus pais. Já seu amigo Roni visualiza-se como campeão do time de Quadribol. O espelho vai refletir nossos maiores sonhos e desejos mais profundos. E qual a lição fica evidente nessa passagem? A lição vem de uma frase de Dumbledore (Diretor da Escola de Magia de Hogwarts) ao explicar a Harry a magia do espelho. O professor afirma: “O homem mais feliz do mundo poderia usar o Espelho de Ojesed como um espelho normal, ou seja, ele olharia e se veria exatamente como é.”. Minha pergunta é: se você pudesse olhar hoje para o Espelho de Ojesed, o que veria?

 

  1. Felix Felicis.Acreditar em si mesmo é mais forte que qualquer poção inventada pelo mundo bruxo e a prova disso foi dada no sexto livro da série quando Harry Potter ganha um frasco da poção Felix Felicis de seu professor. A poção é conhecida como sorte líquida e ajuda a pessoa a ter sorte no que ela vai realizar. Harry finge dar a poção para seu amigo Roni antes de um jogo de quadribol no qual Roni é o responsável pela vitória do time da Grifinória. Apesar de acreditar ter tomado a poção, ele apenas usou seu próprio potencial e acreditou. Alguma vez na vida você acreditou na sua sorte?

 

  1. A Luz e a Treva.Todos temos dentro de nós a nossa melhor e a nossa pior versão. Cabe a cada um decide qual delas vai alimentar mais. Quando Voldemort tenta matar o bebê Harry Potter com o feitiço Avada Kedavra ele transfere parte de sua alma a Harry que acaba recebendo parte dos poderes das trevas. Durante toda a série, Harry terá que lidar com essa sombra que o atormenta. Todos temos nosso lado negro, nossa escuridão, nossa pior versão, nossa sombra que se mostra no orgulho, na arrogância, no egoísmo, na mentira, na inveja, no ciúmes, na gula, na ira, na avareza, no ódio. A despeito disso, sentimentos de caridade, gratidão, amizade e amor podem se sobrepor e vencer se realmente optarmos por fazê-los mais fortes.

 

  1. Dumbledore. São muitas as frases de efeito desta personagem e as lições que elas transmitem, todavia, escolhi uma delas presente em Harry Potter e a Câmara Secreta que diz o seguinte: “São as nossas escolhas que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades.”Nossas decisões definem nossas ações e orientam nossos destinos. Isto é muito mais importante que a capacidade, os recursos ou qualidades que temos, pois estes podem ser adquiridos no decorrer da trajetória. Pense um pouco. Reflita se as decisões que você tem tomado ultimamente estão levando você para vida que você merece e sonha.

 

  1. Expecto Patronum e o Pensamento Positivo.A partir do terceiro livro até o último, temos a presença constante da figura dos Dementadores. Estes são seres sombrios que se alimentam de tristeza e sugam a alma das pessoas com o famoso “Beijo do Dementador”. Eles são uma alusão da autora ao estado depressivo. Para vencer o Dementador, Harry aprende a conjurar o feitiço do Patrono, o qual cria uma espécie de guardião ou protetor composto de energia positiva que aparece na forma de um animal prateado específico para cada bruxo. Para conjurar o Patrono é preciso se concentrar em uma lembrança muito feliz. Sendo assim, a mensagem é de que para vencer a tristeza, devemos nos concentrar naquilo que nos faz feliz, em nossas lembranças mais felizes e no mais positivo de nossos pensamentos.

 

  1. Rúbeo Hagrid.O Guardião das Chaves das Terras de Hogwarts. A figura de Hagrid pode até assustar à primeira vista, mas tão imensa quanto sua forma física é a doçura do seu coração. Hagrid chega a aparentar uma inocência juvenil quando parece não perceber o risco de cuidar de animais como um dragão bebê e um cachorro gigante de três cabeças chamado Fofo. A lição que fica de Hagrid é a clássica “aparências enganam”. O grandalhão que pode amedrontar é tão cativante que, em muitas passagens, nos emociona profundamente.

 

  1. Neville Longbottom. No início da série, poucos poderiam imaginar o papel central que o garoto desastrado e esquecido tomaria, especialmente nas páginas finais do último livro. Entretanto, sua bravura e coragem já sinalizavam como traços de sua personalidade no final do primeiro livro. Dumbledore, ao apresentar a pontuação final das Casas no primeiro ano de Harry em Hogwarts, confere os pontos que desempatam a competição entre Grifinória e Sonserina a Neville afirmando que:“É preciso ter coragem para enfrentar os inimigos, e ainda mais para enfrentar os amigos.”. Ele faz menção à tentativa do garoto de impedir que Harry, Roni e Hermione arrumassem confusão e prejudicassem a Casa de Grifinória. Ser amigo é também saber o momento em que é preciso dizer não aos seus companheiros. Você teria a coragem de Neville. 

 

  1. Amizade. E por falar em amizade, eu não poderia deixar de mencionar como a Saga Harry Potter reforça esse valor. Dentre todos os laços de amizade que são estabelecidos, nenhum supera o do trio central: Harry, Roni e Hermione, os quais se conhecem a bordo do Expresso de Hogwarts e tornam-se inseparáveis após enfrentarem um Trasgo na noite de Dia das Bruxas em seu primeiro ano. A cumplicidade entre eles é tamanha que arriscam suas próprias vidas um pelo outro. Quem são seus verdadeiros amigos e há quanto tempo você não diz a eles o quão importantes são na sua vida? Será que você gostaria de ouvir isso de alguém?

 

  1. Snape:Amor, coragem e bravura. Às vezes, nosso maior amigo pode estar escondido naquele que julgamos o pior inimigo. O professor carrancudo e sombrio escondia o mais puro e belo sentimento por trás da frieza e da dor que sentia por ter sido afastado de seu grande amor: Lilian Potter. Talvez a grande revelação da Saga tenha sido feita por Severo Snape, o qual deixa de seguir o lado das trevas em nome do seu amor e, apesar de ver em Harry a figura de Thiago Potter (seu rival), o protege em nome do amor que sempre sentiu pela mãe do jovem bruxo. Sendo assim, Snape nos ensina a força do amor, da bravura, da coragem e da fidelidade aos seus sentimentos. Você seria capaz de um ato de doação como Snape o fez? Por quem você faria o que ele fez? Snape é responsável por várias passagens clássicas, mas uma delas se supera e toca o coração, quando fala do seu amor por Lilian:

“- Depois de todo esse tempo?

– Sempre”.

  1. Enfrentar o medo. Durante muitas passagens, os heróis da Saga são postos diante de desafios que os levam a enfrentar os seus piores medos. Sejam eles as aranhas ou os Dementadores, uma hora ou outra, eles aparecem. O curioso é que sempre que era necessário enfrentar o medo, além da coragem, as personagens recebiam algum recurso, a exemplo da força da amizade, de um pensamento feliz ou de um feitiço. A alusão direta ao medo vem na forma do Bicho Papão, o qual aparece no Terceiro livro da Saga. O Bicho Papão assume a forma do nosso maior medo e o feitiço para lidar com ele é o Ridikkulus, que vai transformar o monstro em algo engraçado, mostrando que é possível rir do próprio medo. Você consegue se lembrar de algo que tenha te gerado muito temor e hoje seja motivo de riso? Pense bem e reflita sobre seus medos nos dias de hoje. Como você vai encará-los no futuro? Use o senso de humor e o feitiço do Ridikkulus nele. O que há de ridículo no seu medo?

 

A lição mais importante de todas e que não cabe em numeração alguma: O AMOR. 

Do começo ao fim, é o amor o fio central que tece a trama. Foi o amor de Lilian Potter que se reverberou em Voldermot e o impediu de matar o jovem Harry.

Durante todo o filme, o amor, em seus mais diversos aspectos mostra-se como a arma vital que leva o bem a vencer o mal.

É o amor que a treva desconhece que fortalece o bem na batalha final. É a união, a amizade e tantos outros valores entrelaçados pelo amor que unem o primeiro ao último livro.

O amor é a grande lição de Harry Potter, pois foi o amor e não a mágica que venceu a treva.