Escolha uma Página

Depois de estudar a Lei de Pareto e a Lei de Parkinson, vamos ao entender o terceiro P da produtividade. Pomodoro

Mas do que se trata? De onde vem? Quem criou?

Sua origem está nos anos 80, quando o italiano Francesco Cirillo cursava a universidade e buscava meios para aumentar sua produtividade nos estudos para gerar foco e concentração naquilo que fazia.

Claro que, nos dias de hoje, podemos utilizar a técnica para atividades que vão além do estudo.

Pomodoro é como se chama tomate em italiano e, no nosso caso, refere-se aos timers (cronômetros) utilizados na cozinha no formato da fruta, muito comum na Itália, mas não no Brasil.

A Técnica consiste na divisão do tempo em blocos de 25 minutos (pomodoros) com foco e dedicação total à atividade escolhida e posterior descanso de 5 minutos. Após 4 pomodoros de 25 minutos, o intervalo de descanso pode ser maior (quinze minutos).

Quais as etapas a serem aplicadas para real eficácia da técnica?

Antes de tudo, é preciso listar de forma criteriosa as atividades que se pretende realizar e escolher qual a sequência das mesmas.

A seguir, deve-se ajustar o cronômetro e separar um pequeno bloco de papel e uma caneta para ficar ao lado (caso surja alguma distração durante a atividades, anotar no bloco e voltar para o que estava fazendo).

Quando finalizar o primeiro pomodoro, parar imediatamente, mesmo que não tenha finalizado a tarefa.

Algumas pessoas preferem completar meia hora ou finalizar a atividade a que se dedicavam. Fica a critério de cada um. O importante é manter distância de distrações enquanto realiza a atividade.

Em época de redes sociais, essa técnica pode ser muito efetiva: 25 minutos de trabalho para 5 minutos de navegação.

Eu sugiro apimentar um pouco a brincadeira: estabeleça prêmios e punições a você mesmo pela realização ou não da atividade. É importante que você seja fiel a si mesmo.

E então, vamos experimentar?

Logo mais eu volto com outras dicas para ajudar você a ser mais produtivo.

Abraços