Escolha uma Página

O seu pior momento é o instante de recomeçar.

Alguém já disse a você que quando se está mais fraco é quando se fica mais forte? Sabe aquele lance de juntar os pedaços, respirar fundo e unir forças para seguir adiante? Parece insano e soa até mesmo como ofensa quando estamos enfrentando o que parece ser a maior dificuldade de nossas vidas, não é mesmo?

Parece que o mundo todo resolveu se rebelar contra você e nada mais dá certo. Se o fundo do poço existe, cavaram mais um pouco para te colocar lá dentro.

Pois é. Algumas pessoas sequer sabem da existência daquele momento em que parece que deu tudo errado na vida e você começa a ter as ideias mais absurdas, até mesmo relacionadas à por um fim em tudo.

Hoje eu quero te apresentar algumas pessoas que conhecem muito bem o fundo do poço. Contudo, são pessoas que resolveram usar esse lugar para pegar impulso, voar e jamais se enterrar.

 

Michael Phelps

Sim! O grande campeão olímpico, o maior nadador de todos os tempos, após se aposentar das piscinas enfrentou uma forte depressão, chegando até mesmo a ser preso quando dirigia sob influência de drogas. O fenômeno deu a volta por cima e esteve presente nos Jogos do Rio para cravar seu nome na história.

Rafaela Silva

Meses longe do kimono após a derrota nas Olimpíadas de 2012, a judoca Rafaela Silva encarou a escuridão após perder a luta em Londres. Ela foi xingada, sofreu preconceito racial, chorou e por pouco não abandonou seu sonho. Quem a viu radiante após o ouro no Rio de Janeiro, talvez pouco ou nada soubesse a respeito da trajetória de superação desta mulher para colocar aquela medalha no peito.

Diego Hipólito

Ainda nos esportes, é preciso lembrar de uma história comovente. O ginasta que era promessa de ouro para o Brasil nas Olimpíadas de 2008 e 2012 teve que lidar com comentários vexatórios por ter caído em suas apresentações em Pequim e em Londres. Diego não apenas deu a volta por cima como conquistou a medalha de prata em 2016, mostrando que a força para se vencer uma depressão vem da vontade e da garra que se tem para perseguir um grande sonho.

JK Rowling

De mãe solteira, desempregada e sobrevivendo com auxílio social no Reino Unido, ela  enfrentou a depressão tornou-se a mulher mais rica da história da literatura depois que o mundo mágico de Harry Potter criado por ela conquistou fãs nos quatro cantos do planeta.

Chris Gardner

Ele não tinha dinheiro, mas tinha esperança. Dormiu em banheiros públicos com o filho. Sobreviveu em abrigos enquanto fazia estágio não remunerado numa corretora da Bolsa de Valores em Nova York. Hoje ele é bilionário, mas já foi mendigo.

Steve Jobs

Quantas pessoas você conhece que foram demitidas da empresa que elas próprias fundaram? Pois bem, Steve Jobs é uma dessas pessoas. Este fato inusitado aconteceu e o levou a criar a Pixar e a animação Toy Story. O resto da história a gente já sabe: ele foi chamado de volta para reerguer a Apple e conseguiu.

João Carlos Martins

O maestro já enfrentou inúmeras dificuldades que poderiam tê-lo afastado dos palcos: acidentes que acarretaram em cirurgias impossibilitando-o de tocar piano, distúrbios osteomusculares, golpes na cabeça durante um assalto que comprometeram os movimentos dos seus braços. Mas nada disso foi suficiente para parar João Carlos. Ele está de volta, mais vivo que nunca encantando plateias e enchendo o Brasil de orgulho.

Nick Vujicic

Ele nasceu sem braços, sem pernas e também quase ficou sem esperança quando acreditou que sua vida não teria sentido e tentou se suicidar na banheira de casa aos dez anos de idade. Hoje Nick viaja o mundo levando uma mensagem de positividade e fé para milhares de pessoas, fazendo sua vida e a de tantas outras valerem a pena.

Oprah Winfrey

A demissão no início da carreira foi o de menos. Ela já havia sido criada pela vó em uma região muito carente quando a mãe foi trabalhar em outro estado. Violentada e reprimida, aos 14 ficou grávida e perdeu o bebê após o parto. Hoje, Oprah não é só bilionária. Ela é umas maiores personalidades e formadoras de opinião dos Estados Unidos.

Viola Davis

Preta e pobre, mas a primeira mulher negra a ganhar Oscar, Emmy e Tony (os três grandes prêmios). Ela própria descreve sua infância como “tendo vivido na pobreza abjeta”.  “Eu era capaz de vasculhar caixotes de lixo cheios de larvas à procura de comida, de roubar a loja da esquina, porque eu estava com fome. Nunca nenhuma criança vinha à minha casa porque ela ficava em um edifício condenado, infestado de ratos”, ainda contou a atriz. Hoje ela faz história e muito sucesso.

Tá difícil, amigo? Então talvez tenha chegado a hora de fazer história. Partiu?